Exemplos positivos da cadeia da carne em debate no BeefSummit Sul

Foram apresentados casos de sucesso em trabalhos desenvolvidos em pecuária intensiva e agregação de valor no varejoEm um auditório lotado de representantes e interessados na cadeia produtiva da Pecuária de Corte, o Teatro do CIEE recebeu nesta sexta-feira, dia 4 de abril, a segunda edição do BeefSummit Sul, evento realizado pelo BeefPoint em parceria com a Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB).

 

Dando as boas vindas aos presentes, o diretor do BeefPoint, Miguel Cavalcanti, lembrou que o evento tem como pilares tradição, tecnologia e qualidade e que os pecuaristas do Sul do Brasil têm as condições necessárias para unir estas três bases no trabalho desenvolvido no dia a dia. Estimulou a troca de experiência entre os participantes para que possam se unir em ideias, projetos e negócios. "Levem as informações aqui compartilhadas hoje e busquem aplicar no trabalho de vocês, para daqui a dez anos possam olhar para o ano de 2014 e se orgulhar", afrimou.

 

Já o presidente da ABHB, Fernando Lopa, ressaltou que os pecuaristas gaúchos, além da tradição na criação podem ser modernos. Salientou também que a expansão dos programas de carne certificada das associações deve ser expandido aos olhos do consumidor, por isso o evento procurou representantes do varejo para falar sobre suas experiências. "É possível organizar a cadeia fazendo uma carne diferenciada e com sucesso", analisou.

 

A manhã foi dedicada a palestras técnicas e exemplos do dentro da porteira. O primeiro a falar foi o engenheiro agrônomo Felipe Sangalli Dias, sócio-proprietário da Lanztech Farming Solutions, sobre o tema da utilização de sistemas pastoris intensivos na produção de gado de corte, onde mostrou o exemplo desenvolvido na fazenda Pérola Negra, de São Lourenço do Sul, que tem produzido com eficiência aumentando o peso vivo dos animais e diminuindo custos. Logo após o engenheiro agrônomo Luis Felipe Moura Pinto, diretor técnico da Agropecuária Ponderosa Ltda, em São Paulo, e da Scalzilli Agropastoril Ltda, no Rio Grande do Sul, mostrou os exemplos positivos da produção de gado de corte com altíssima eficiência no Rio Grande do Sul com estudo de caso do uso irrigação para as pastagens. Já o veterinário e administrador Eduardo Madeira Castilho, diretor consultor da Lance Agronegócios, trouxe o debate de como a integração lavoura-pecuária vai aumentar a rentabilidade e eficiência da pecuária de corte gaúcho.

 

O ponto alto da manhã foi a apresentação de Edmour Saiani, consultor e idealizador da Ponto de Referência, única empresa brasileira especializada em construção de cultura de atendimento, que falou sobre 'como ser o número 1, e não apenas mais 1'. Em uma palestra animada e interativa, o especialista trouxe questionamentos aos participantes sobre como seus negócios estão posicionados junto aos clientes. O foco foi em quatro pontos do processo: mercado, equipe, cliente e integração.

 

Saiani mostrou que 80% das pessoas que abandonam uma marca se dizem satisfeitas com o produto e serviço oferecido, por isso é preciso oferecer mais do que a concorrência, oportunizando um atendimento raro e único. Para isso a melhor propaganda é o boca a boca. "Não prepare seu negócio para vender ou faturar. Prepare seu negócio para ser elogiado", salientou.

 

Mais do que cuidar de uma marca, conforme o consultor, é importante cuidar da reputação da empresa e do negócio. Por isso um dos pontos chave é o atendimento que precisa ser diferenciado para fidelizar o cliente. "Nós temos que ser competentes e diferentes e ter uma equipe que seja integrada", completou.

 

Momento de integração com o varejo

 

A tarde foi voltada ao mercado e trouxe um workshop com proprietários de pequenas e médias empresas do segmento. As palestras foram miistradas por Everton Mendes, do Empório do Pampa, Elisabeth Schreiner, da Meat Shop Grill, Tiago Fornari, da rede de franquias Vermelho Grill, e Roberto Majo, da Fazenda Barbanegra. Fornari sintetizou as explanações com uma declaração sobre o mercado no Rio Grande do Sul. "Não basta a carne ser boa. o gaúcho é muito exigente e por isso o empreendedor tem que valorizar tudo que oferece, inclusive a qualidade dos acompanhamentos", explicou.

 

Elisabeth inspirou a plateia. Com 25 anos de experiência no segmento, se destaca pela visão apurada do mercado. Ela ministra cursos de churrasco e faz churrascos a domicílio. Empolgada ela arrancou aplausos do público cobrando mudança de mentalidade no setor. "O Rio Grande do Sul tem genética fantástica, mas falta união entre produtores e frigoríficos. Uma parceria entre eles trará melhores produtos, pois temos condições de fazer a melhor carne do mundo aqui no Estado. Todos precisam se conscientizar que a carne de animal criado em pasto gaúcho vale ouro", enfatizou.

 

Na parte final do BeefSummit Sul, o consultor da FFVelloso & Dimas Rocha Assessoria Agropecuária, Fernando Velloso, apresentou um panorama da pecuária gaúcha e brasileira. O especialista falou que o Rio Grande do Sul tem diferencial em relação ao resto do país que devem ser aproveitados como ser o berço da carne de qualidade com o fomento às raças europeias e a tradição e história de ter sido um dos pioneiros na produção de gado. "Temos história. Não há Estado com mais tempo de pecuária quanto o nosso", afirmou.

 

A última palestra foi dedicada ao trabalho das associações em prol do fomento da qualidade da carne onde o diretor da Associação Brasileira de Angus, Reynaldo Salvador, e o presidente da ABHB, Fernando Lopa, falaram sobre o que as entidades estão desenvolvendo para atingir estes critérios de exigência.

Please reload

Últimos Releases
Please reload