Leilões da Trajano Silva no Bocal ultrapassam R$ 3 milhões

 

Promotora de três dos quatro leilões realizados durante o Bocal de Ouro, a Trajano Silva Remates fechou o evento com resultado positivo. Nos remates realizados pela leiloeira, o faturamento chegou a R$ 3,07 milhões, com média de R$ 29,1 mil por cada lote da raça Crioula vendida. O maior destaque foi o evento da Cabanha Malke, realizado no sábado, fechando em R$ 1,79 milhão. Depois veio o leilão La Castellana e Don Marcelino, com faturamento de R$ 702,5 mil. Já o remate Itaó e Convidados, da última quinta-feira, terminou com um total de R$ 577 mil em vendas.

 

O leiloeiro e diretor da Trajano Silva Remates, Marcelo Silva, afirma que mesmo em um momento de economia retraída, os criadores estão dispostos a investir em qualidade genética  e resultados em pista, especialmete nas provas funcionais. "Quem tem qualidade e performance continua valorizado no mercado. Temos compradores dispostos a continuar investindo", salienta.

 

A liquidez que tem marcado o mercado e as vendas para fora da região Sul do Brasil continuam sendo alguns dos principais pontos positivos da temporada. Entretanto, Silva lembra também que o bom momento da agricultura gaúcha, com expectativa de colheita recorde e preços animadores das commodities no mercado, também estão influenciando na aquisição de animais da raça Crioula. "A colheita excepcional de arroz e soja que estamos tendo do Rio Grande do Sul estão ajudando criadores a retomar investimentos", explica.

 

 

O maior destaque foi a venda de um embrião de AS Malke Punhalada, no leilão da Malke, comercializada a R$ 87,5 mil. Inclusive a égua recebeu no leilão uma proposta de compra de quase R$ 2 milhões, mas recusou. AS Malke Punhalada foi a grande campeã das fêmeas na Morfolohia da última edição da FICCC, realizada no final de março na Argentina.

Please reload

Últimos Releases
Please reload