Simvet/RS defende exame individual para detecção do Mormo

 

O Sindicato dos Médicos Veterinários no Estado do Rio Grande do Sul (Simvet/RS) defende que os testes realizados para diagnóstico de Mormo sejam feitos de forma individual. Proposta de coleta de sangue por amostragem para o exame da doença nos cavalos que forem participar dos Desfiles Farroupilha, em setembro, foi enviada à Secretaria Estadual da Agricultura. Os proprietários de cavalos ficariam liberados do exame individual se a doença não fosse detectada. A iniciativa, no entanto, depende de aprovação do Ministério da Agricultura.

 

A presidente do Simvet/RS, Angelica Zollin, lembra que o Mormo é uma doença altamente contagiosa e por se tratar de uma zoonose, é transmissível às pessoas. Alerta que o animal pode não ter sintomas, mas estar contaminado. Por isso, o sindicato defende que os testes sejam individuais. “Um animal que não for submetido ao exame pode estar infectado e desenvolver a doença mais tarde”, salienta Angelica.

 

A dirigente do Simvet/RS também questiona a atuação gratuita dos médicos veterinários do Estado na realização da amostragem, conforme está sendo sugerida. “O trabalho sem remuneração tira serviço dos profissionais”, esclarece. 

 

No mês passado foi registrado um caso de Mormo em um equino no município de Rolante (RS) que deixou em alerta as autoridades sanitárias gaúchas. Além disso, outros casos suspeitos foram investigados desde este foco. Uma das medidas de prevenção foi a exigência do atestado negativo para a doença na liberação da Guia de Trânsito Animal (GTA).

Please reload

Últimos Releases
Please reload