• Simvet/RS

Reciclagem do PNCEBT será realizada durante atividades da Fenasul


Apesar do esforço das autoridades sanitárias e pecuaristas, ainda são identificados muitos focos de Brucelose e Tuberculose animal em várias regiões do Brasil, segundo especialistas. Para combater a incidência das doenças em bovinos e bubalinos, o Ministério da Agricultura criou em 2001, o Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Bovina e Bubalina (PNCEBT). No Estado, o Sindicato dos Médicos Veterinários no Estado do Rio Grande do Sul (Simvet/RS) aplica treinamentos com a parceria de universidades gaúchas no sentido de capacitar estes profissionais. Atualmente eles são realizados em conjunto com a Unicruz, de Cruz Alta (RS), e a Urcamp, de Alegrete (RS). Em seis anos, somente pelos cursos ofertados pelo sindicato, já foram treinados 724 profissionais que obtiveram a habilitação do PNCEBT. Em outubro do ano passado, o governo federal atualizou o regulamento técnico do programa, o que criou uma necessidade de “reciclagem”, como destaca a presidente do Simvet/RS, Angelica Zollin. “Novos aspectos técnicos foram incluídos e se o veterinário não souber poderá infringir essas regras. Por isso, estamos em parceria com a Secretaria Estadual da Agricultura e Mapa para promover a atualização de todos os veterinários que já estão habilitados”, salienta. A primeira atualização técnica já tem data marcada, será realizada no dia 25 de maio, em Esteio, durante a Fenasul. Todo o conteúdo será ministrado por técnicos do Ministério da Agricultura e da Secretária Estadual da Agricultura. Segundo Angelica, a sanidade dos rebanhos bovinos do Rio Grande do Sul e do Brasil está em pauta há anos, visto que a mesma é uma barreira para a exportação de carne para outros países. "Com a abertura dos mercados, cada vez mais se faz necessário que as regras sejam cumpridas. Para os próprios produtores é um risco, pois se um foco é identificado, ele ficará impedido de exportar por um período", observa. Dados do Ministério da Agricultura apontam que, no início de 2016, 1,08 mil propriedades eram consideradas livres de Brucelose e Tuberculose animal, mas este número caiu para 946 na atualidade. A presidente do Simvet/RS salienta que o maior número de profissionais habilitados tem ajudado à identificação mais rápida dos focos. "Isso não significa que apareceram mais casos das doenças. Elas já estavam lá, mas com o aumento de profissionais habilitados, mais ocorrências serão identificadas e com isto conseguiremos de forma mais rápida sanear o rebanho e erradicar a Brucelose e a Tuberculose. Por isto é importante que estes veterinários sejam treinados e habilitados a executar os exames", destaca. A Brucelose é causada pela Brucella abortus, enquanto a Tuberculose é transmitida pelo Mycobacterium bovis. As zoonoses estão disseminadas por todo o território nacional. A Brucelose atinge tanto o gado de corte quanto o gado de leite, enquanto que a Tuberculose é um problema mais sério para os produtores de leite. As duas enfermidades atingem também a população de búfalos, podendo também ser transmitida aos humanos. Serviço O que: Atualização Técnica do PNCEBT Quando: 25 de maio Horário: 9h às 13h Local: Auditório da Secretaria de Agricultura no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS) Informações: simvetrs@simvetrs.org.br WhatsApp: (51) 99854.3168

#SimvetRS #MédicoVeterinário #PNCEBT #Brucelose #Tuberculose #Sanidade #Pecuária #Expoleite #Fenasul

RELEASES

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • SoundCloud - Círculo Branco
  • Spotify - Círculo Branco