• AgroEffective

Anunciado na Abertura da Colheita do Arroz terminal para exportação do grão em Rio Grande


A busca por novos mercados, integração com a soja e a pecuária, assim como a viabilização de um terminal logístico para o arroz, marcaram a 30ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz nesta sexta-feira, 14 de fevereiro, na Estação Experimental Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão (RS), na região de Pelotas (RS). A expectativa da organização é de que cerca de 7,5 mil pessoas tenham passado pelo local nos três dias de evento.


Autoridades e produtores rurais prestigiaram o desempenho das colheitadeiras John Deere, Massey Ferguson e New Holland na lavoura preparada para o evento. Também foi destaque a entrega de uma placa alusiva aos 30 anos da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz) entregue pelo governador do Estado, Eduardo Leite, o presidente da Assembléia Legislativa, Ernani Polo, e os deputados estaduais Any Ortiz e Luiz Henrique Vianna. A cerimônia se encerrou com a tradicional “chuva de arroz”.


O presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Alexandre Velho, ressaltou em seu discurso que é preciso evoluir em projetos que tragam segurança e novas variedades de arroz, destacando a inegável importância da cultura para o Estado. Informou que são mais de 140 municípios gaúchos que dependem deste produto para a sua economia. “O impacto social e econômico desta cultura é muito grande. Estamos aqui neste evento demonstrando que o produtor está fazendo a sua parte por meio da rotação de culturas com a soja e a pecuária para termos uma lavoura cada vez mais intensificada e sustentável”, afirmou.


Velho também salientou que é necessário continuar incrementando a exportação para diminuir a pressão dos preços no mercado interno. “É meta na minha gestão a abertura de novos mercados e não vamos descansar enquanto não colocar 2 milhões de toneladas para fora do Brasil”, observou. O dirigente pediu ainda uma participação da Frente Parlamentar Gaúcha nos pleitos do arroz, destacando a parceria do deputado Rodrigo Lorenzoni com a Federarroz para levar adiante as demandas do setor.


Outro tema abordado por Velho foi a criação de um grupo de trabalho para evoluir na questão da modernização do Irga para que continue fazendo a defesa do produtor arrozeiro. O presidente da Federarroz disse ter a convicção que a segurança do Brasil no arroz passa necessariamente pelo Rio Grande do Sul. “Precisamos defender esta lavoura”, colocou.


Durante a solenidade, ocorreu a assinatura de edital entre a Secretaria Estadual da Agricultura, Superintendência do Porto de Rio Grande, Federarroz e Farsul, para o estabelecimento de um terminal destinado ao arroz no Porto de Rio Grande. A partir deste ato, foi tornado público o processo seletivo simplificado para arrendamento transitório do antigo Terminal da Cesa/Rio Grande, que se tornará o Terminal Logístico do Arroz (TLA). Ele será dedicado à movimentação e armazenagem do arroz e seus derivados dentro da infraestrutura do Porto, tornando-se um importante instrumento portuário para a política de armazenagem e movimentação do arroz no Estado.


A área é composta por silos com 60 células de aeração, 36 inter células e quatro células tripartidas que totalizam a capacidade estimada de 52 mil toneladas, configurando um instrumento portuário para política de armazenagem e movimentação do arroz no Estado. O Arrendamento Transitório operacionaliza a área portuária até que sejam finalizados os procedimentos licitatórios definitivos pela Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários do Ministério da Infraestrutura, e pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ).


Conforme Velho, o governo do Estado atende a uma demanda do setor. “A iniciativa vai solucionar uma necessidade de modernização do porto em função da pauta da Federação de buscar novos mercados”, destacou. Velho e o presidente da Farsul, Gedeão Pereira, fizeram um agradecimento especial ao governador do Estado pela decisão. “A abertura desta oportunidade de termos um local de acesso específico para o arroz é realmente uma promessa de campanha e não poderia deixar de lhe fazer em nome da Federarroz, da Farsul e do Fernando Estima, um agradecimento mais do que especial por este sonho realizado,” destacou Velho.

Por sua vez, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, em seu discurso, salientou a produtividade, a capacidade empreendedora, o talento e a vocação para o empreendedorismo que o nosso Estado tem no campo. Ele aproveitou a ocasião também para fazer uma breve prestação de contas em relação aos compromissos firmados na abertura da Colheita de 2019 para melhorar a competitividade da produção agrícola do nosso Estado. “É importante abrir e viabilizar o mercado lá fora. Ainda assim, temos um grande mercado interno a ser explorado. Nos próximos meses, vamos viabilizar uma campanha a nível nacional para que possamos estimular o consumo de arroz no território nacional. Estamos trabalhando para que haja aumento de demanda e, consequentemente, maior renda para produtores, para a indústria e para todos”, prometeu. “Falamos também sempre que a competitividade depende de estrutura logística”, destacou, citando especialmente o lançamento inédito do edital para concessão do terminal da logística do arroz no porto de Rio Grande.


Sobre ajudar a eliminar e reduzir a burocracia do Estado, ele comentou sobre a aprovação do novo código ambiental, com novas regras e novos processos de licenciamento, que vão dar maior celeridade à concessão de licenças também para a produção agrícola no estado, graças à determinação da Assembleia Legislativa e apoio das federações. “Ao longo deste ano, da última colheita para cá, nós trabalhamos muito para o Governo do Estado fazer a sua parte, em logística, em tributos, em capacidade técnica, para dar suporte à produção, para que nós possamos gerar mais renda, mais empregos e mais espaço para o empreendedor no nosso Estado e melhorar a vida do cidadão gaúcho”, finalizou o governador, otimista, destacando o crescimento econômico do RS (2,7%), que foi três vezes maior em comparação ao do Brasil (1%), no ano passado.


A cerimônia também contou com a participação de autoridades e representantes do setor como o chefe-geral da Embrapa Clima Temperado, Roberto Pedroso, presidente do Irga, Guinter Frantz, deputado federal, representando a Câmara dos Deputados, Jerônimo Goergen, senador Luiz Carlos Heinze, presidente da Fetag/RS, Carlos Joel da Silva, presidente da Farsul, Gedeão Pereira, secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Irrigação, deputado Covatti Filho, presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária da Câmara dos Deputados, deputado Federal Alceu Moreira, senador da República Lasier Martins, presidente da Assembleia Legislativa do Estado, deputado estadual Ernani Polo.


A 30ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz foi uma realização da Federarroz com correalização da Embrapa e Patrocínio Premium do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga).


Fotos: Fagner Almeida/Divulgação