top of page
  • Foto do escritorAgroEffective

Cinco raças ovinas conheceram campeões nesta terça-feira


Os julgamentos das raças ovinas em exposição na Expointer 2022 chegaram ao terceiro dia nesta terça-feira, 30 de agosto. Na pista dedicada à espécie, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, foram avaliados animais das raças Ideal, Ile de France, Hampshire Down e Texel Naturalmente Coloridos.


O julgamento do Texel começou pela manhã. Entraram em pista 18 fêmeas NC-O (naturalmente coloridos de origem) e 8 machos. A Grande Campeã foi São Dionísio NC 25, da Cabanha São Dionísio, de Bagé. Já entre os machos, o Grande Campeão foi Da Criúva NC 202, da Cabanha Criúva, de Santo Antônio da Patrulha. O jurado Roberto Moreira de Azambuja destacou que a fêmea escolhida é um animal mais comprido que as demais, de uma pureza muito interessante, bem como a correção de aprumos. Já sobre o macho, os jurados consideraram o carneiro com uma linha de lombo muito melhor, muito puro, com uma cabeça excepcional e excelentes aprumos.


À tarde, foram julgados os animais Texel NC-C (naturalmente coloridos por cruzamento). Dentre as 41 fêmeas levadas à pista, a Grande Campeã foi a São Dionísio NC 15, vencedora da categoria Ovino Adulto, trazida pelo expositor Diego Cardoso Vieira, da Cabanha São Dionísio, de Mostardas (RS). O médico veterinário Roberto Azambuja, que foi um dos avaliadores da espécie, destacou que a posição no ranking dos animais melhor avaliados foi definida por detalhes. "A borrega que ficou em 4° lugar é muito bem caracterizada, mas encontrou pela frente três animais também excepcionais. Ela poderia ter um pouco mais de arqueamento de costela, por isso o 4°lugar. A ovelha que ficou em 3° é muito equilibrada, tem boa cabeça, mas poderia ser mais comprida e, por isso, perdeu o Reservado. A borrega que ficou em Reservado tem bons aprumos, boa cabeça, mas encobriu pela frente uma ovelha que todos querem ter em seus plantéis", justificou o jurado.


Ao todo, 32 machos Texel NC-C disputaram o título de Grande Campeão, que ficou com o borrego Agropecuária Maré NC 207, propriedade de Marcelo e Renata de Jager, da Agropecuária Maré, de Castro (PR). Para o jurado Roberto Azambuja, o exemplar é “um borrego de massa muscular proeminente, bastante equilibrado, com cabeça bonita, que mereceu o grande campeonato”,


Os criadores de Hampshire Down reservaram a tarde de terça-feira para avaliar 37 fêmeas da raça em exposição em Esteio. O júri acabou elegendo a A.S.V.S 433, da Escola Agrotécnica do Instituto Federal Farroupilha, de São Vicente do Sul (RS). O jurado Luis Galli considerou a Borrega vencedora "muito correta e bem aprumada".


Na raça Ideal, 23 animais participaram do certame. A Grande Campeã Fêmea foi C.Chato 279, do expositor/criador Marcelo Macedo Linhares, da Cabanha Estância Cerro Chato, de Santana do Livramento. De acordo com o jurado Sérgio Munhoz, a decisão foi no detalhe. "Achei a Borrega campeã mais pura, esqueleto moderno e um ótimo velo", conclui. O título de Grande Campeão Macho foi entregue a Do Silvestre 47, da Cabanha Olaria, também do município de Itaqui, apresentado pelo criador e expositor Antonio Bedinote Fernandes. Ao final do dia, os dois campeões disputaram o título de Melhor da Raça, e a fêmea C. Chato 279 saiu vencedora, sendo agraciada com o Prêmio Flor Amaral, que homenageia o ex-presidente da Farsul falecido em 2021.


Os expositores e criadores da raça Ile de France conheceram nesta terça-feira a Grande Campeã Fêmea, J.M. da Divisa 1408, dos criadores e expositores Janette Terezinha, Raquel e Ramiro Cerutti de Oliveira, da Cabanha da Divisa, de Cruz Alta. “É um bicho que está pronto, é presente e futuro garantido, totalmente alinhado com o que se quer e que impressiona pela qualidade”, avaliou o jurado Teófilo Pereira Garcia de Garcia.

Comments


bottom of page