top of page
  • Foto do escritorAgroEffective

Escolas Agrícolas apresentam projetos de pesquisa na Expointer 2022


A Associação Gaúcha de Professores Técnicos de Ensino Agrícola (Agptea) realiza a 1ª Mostra de Educação Profissional de Escolas Técnicas Agrícolas (Meta), na 45ª Expointer, que vai até 4 de setembro, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS). Participam do evento, que tem o apoio da Superintendência da Educação Profissional do Estado (Suepro), 21 escolas com 24 projetos, dos quais cinco serão classificados para participar da Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia (Mostratec), que acontece de 24 a 28 de outubro deste ano.


O critério para a escolha dos vencedores será baseado no resumo do trabalho, estande, caderno de campo e apresentação oral dos alunos. Os avaliadores terão como indicadores o nível de inovação, valor social, contribuição à ciência, a aplicação correta do método científico, o registro de todo o processo durante a investigação no caderno de campo e, por fim, o domínio do assunto, a clareza e desenvoltura na exposição e a precisão dos dados.


Os avaliadores foram indicados e convidados pela comissão organizadora, dentro da área de conhecimento, de modo que cada projeto seja examinado, no mínimo, por três especialistas. O presidente da Agptea, Fritz Roloff, salienta que “o fundamental na Mostra é que os alunos aprendam a metodologia científica, e que saibam como identificar o problema e buscar as soluções”.


O responsável pela comissão de avaliação da Meta, Carlos Augusto Natorp Fontoura, conhecido como professor Carlão e com mais de 37 anos atuando no Ensino Agrícola, destaca que “o evento surge com a ideia de que o aluno seja protagonista dentro da nova filosofia da Base Nacional Comum Curricular” (BNCC). O professor ressalta que “o aluno não deve ver apenas a parte técnica, mas a pessoa, ou seja, ter uma educação mais estruturada, com um viés técnico e uma grande responsabilidade. O mundo em transformação traz essa responsabilidade, o que antes levava cinco anos para ter uma mudança tecnológica, hoje ocorre em alguns meses”.


Fontoura, que leciona disciplinas técnicas na Escola Ildefonso Simões Lopes, também chamada de Escola Rural de Osório, afirma que a Agptea e a Suepro têm essa responsabilidade de mostrar o que está sendo feito dentro das escolas nesse momento. “O evento começa com uma responsabilidade muito grande que é colocar a visibilidade do Ensino Agrícola dentro da Mostratec, a segunda maior feira de iniciação científica”, destaca o professor, salientando que é preciso buscar o protagonismo do aluno através da pesquisa científica, “e que passa pelo empirismo e termina em um conhecimento muito aprofundado”.

Comments


bottom of page