top of page
  • Foto do escritorAgroEffective

Forquetinha recebe em novembro seminário sobre abelhas nativas sem ferrão


“Diversificação da Propriedade e Sustentabilidade” é o tema do Seminário Regional de Meliponicultura que ocorrerá nos dias 4 e 5 de novembro, em Forquetinha (RS). A programação contará com palestras, exposição de abelhas nativas, meliprodutos, distribuição e venda de plantas e mudas meliponas. A realização é da Associação de Meliponicultores do Vale do Alto Taquari (Amevat), da Emater e da Prefeitura e Câmara de Vereadores de Forquetinha.


A coordenação do Seminário é do engenheiro agrônomo Paulo Francisco Conrad, que também faz parte da diretoria da Amevat. Segundo o presidente da Associação, Nelson Angnes, a expectativa é de que o evento receba um bom público durante os dois dias de programação. “No dia 4, vamos oferecer uma visitação especial para os alunos das escolas da região do Alto Taquari e na tarde do dia 5 teremos mais de 15 oficinas e exposições”, informa.


As palestras vão acontecer na parte da manhã do dia 5 e serão ministradas pelo professor do Instituto de Biologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Doutor Althen Teixeira Filho, que falará sobre o “Sistema Nervoso das Abelhas”, e por Gabriel Benoski, do canal no youtube AMA - Abelhando Mundo Afora, que vai abordar a questão sobre o “Pasto Correto para as abelhas nativas sem ferrão”.


Conforme o professor Althen Teixeira Filho, a sua palestra vai tratar da estruturação e importância do sistema nervoso das abelhas. Salienta que existem estudos muito avançados sobre o assunto. “Foi publicada por um cientista londrino, que vem pesquisando abelhas há 30 anos, uma questão muito interessante que é o fato de uma presumível presença de sentimentos em abelhas. E, a partir disso, vem a pergunta: Será que, de fato, as abelhas têm sentimentos?”, indaga Teixeira Filho, informando que a resposta será dada no Seminário.


Gabriel Benoski, por sua vez, destaca que a sua palestra vai abrir os olhos para uma realidade diferente do pasto correto para as abelhas nativas sem ferrão. Coloca que o objetivo é aumentar a polinização do entorno da criação e melhorar as colônias com estratégias simples, porém, muito eficientes. “Tenho certeza que essa visão diferente sobre o pasto será transformadora para a criação da abelha nativa sem ferrão e dará mais sucesso, ainda, do que os produtores já têm com as suas abelhas”, enfatiza.


A programação do Seminário Regional de Meliponicultura será no Parque Histórico de Forquetinha e contará também com espaços para almoços e lanches. A entrada é franca, mas é preciso se inscrever para receber o certificado de participação no Seminário. O endereço para inscrição é https://www.sympla.com.br/seminario-meliponicultura__1738192.


O seminário tem o apoio da Associação Gaúcha de Professores Técnicos de Ensino Agrícola (Agptea), da Federação das Associações de Meliponicultores do Estado do Rio Grande do Sul (Femers), da Associação Brasileira das Entidades da Meliponicultura (Abrem) e do Sicredi.

Σχόλια


bottom of page