top of page
  • Foto do escritorAgroEffective

Inovações na olivicultura ganham destaque no South Summit Brazil


As inovações para a olivicultura foram destacadas no terceiro dia do South Summit Brazil, que ocorre no Cais Embarcadero, em Porto Alegre (RS). No espaço RS Innovation Stage, com o apoio da Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia, ocorreu o painel “Desafios e Perspectivas Futuras para o Reaproveitamento de Resíduos da Produção de Azeite”, com a participação do presidente do Instituto Brasileiro de Olivicultura, Renato Fernandes, a CEO da Startup OlivePlus, Camila Sant’Anna Monteiro, e o consultor Fabricio Carlotto.


A Olive Plus, incubada na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), trabalha com o objetivo de desenvolver no mercado a técnica inovadora de reaproveitamento do resíduo da indústria de azeite de oliva, oportunizando maior saudabilidade para alimentação humana e animal. Segundo Camila, a ideia é gerar produtos com maior valor funcional. “A nossa proposta da é estar gerando produtos, trabalhar no desenvolvimento destes produtos e também produzir insumos para a indústria alimentícia”, observou.


Já Carlotto salientou que a própria olivicultura já se trata de uma inovação no Rio Grande do Sul nos últimos anos. O próprio azeite de oliva já é uma conquista que nós alcançamos quando muita gente nos falava que o Brasil não ia produzir azeite de oliva, a olivicultura não cresceria. Nós já temos azeites premiados mundo afora”, ressaltou. Entretanto, conforme o especialista, assim como nos grandes países produtores, é uma preocupação o que fazer com o resíduo da extração. “A nossa busca agora através do Ibraoliva é buscar congregar todas essas iniciativas porque muitas vezes elas acabam fazendo trabalhos que poderiam ser complementares. São atividades que muitas vezes estão isoladas e que precisam trabalhar juntas. Então nós temos aproveitamento de resíduos buscando a utilização para a alimentação humana, mas nós temos outros usos desse resíduo e é isso que nós gostaríamos de levar ao conhecimento do público porque daqui a pouco isso pode atrair novos investidores”, frisou.


Em sua fala, o presidente do Ibraoliva lembrou que o Brasil é o segundo maior consumidor de azeite do mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, com 100 milhões de litros, mas a produção é de 500 mil litros anuais, o que representa 0,5% do consumo nacional. “Esses números acredito que preocupam a todos os setores e até mesmo a nós produtores com a responsabilidade de aumentar a produção. O que precisamos são de investimentos, investidores para que possam dar sustentabilidade. Então a importância deste momento e desse espaço, de quem está nos assistindo, é que perceba a importância e perceba também a oportunidade de crescimento que existe dentro do nosso setor. É um setor que hoje no Estado planta uma área de seis mil hectares e nós temos áreas com aptidão, somente no nosso Estado de um milhão de hectares”, observou.


Além disso, Fernandes também destacou o olivoturismo como uma inovação dentro do setor. Pelo menos dez empreendimentos já estão em atividade no Rio Grande do Sul e no ano passado receberam cerca de 500 mil visitantes, demonstrando o potencial deste setor. O presidente do Ibraoliva também lembrou do Selo Premium, em parceria com o governo do Estado do Rio Grande do Sul por meio da Secretaria da Inovação, que destaca a qualidade da produção gaúcha, também uma inovação para os olivicultores.

コメント


bottom of page