• AgroEffective

Potencial de rentabilidade na integração lavoura-pecuária é tema de live


Em uma época de alta no preço dos fertilizantes, o estudo do solo e o equilíbrio no que deverá realmente ser depositado no sistema biológico, se torna essencial para o produtor. A integração lavoura-pecuária entra com potencializador no que tange à economia e geração de resultados. Esta foi a tônica da live realizada na noite de quarta-feira, 3 de agosto, no canal da SIA, Serviço de Inteligência em Agronegócios, no YouTube.


Mediada pelo diretor técnico da SIA, Armindo Barth Neto, a live contou com a participação da professora Tangriani Assmann, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Conforme a especialista, na região de Cascavel (PR), o solo é privilegiado e os produtores sempre foram cuidadosos quanto à fertilização. “Há acúmulos de determinados nutrientes no sistema. Apesar de benéfico em certo aspecto, por conta do aumento no custo dos fertilizantes, não sabemos quando poderá ocorrer escassez”, destacou. A professora disse que, nesta região, há uma espécie de poupança de nutrientes no solo e que pelo uso comum do NPK, o produtor pode estar acumulando um produto e deixando outro em falta. Ressaltou, ainda, que os percentuais de aplicação indicados pelo fabricante levam em consideração as características do país de origem do produto. “E o produtor segue isso, Brasil afora, sendo que há margem de manobra e temos que avançar neste sentido”, concluiu.


O que acontece quando o gado é introduzido na área de produção exclusivamente agrícola, foi detalhado pela professora Tangriani. Ela relatou que há um aumento do nível trófico da cadeia alimentar, começa a ocorrer fluxo de energia e isso faz todo um processo de diversidade ser aumentado no sistema. “O animal, ao pastejar, vai provocar reações na própria planta, que ao cortar a parte aérea, tende a brotar. Ao brotar, joga as raízes para baixo, e quando brota, vem com mais nitrogênio, vai puxar mais potássio e fósforo e lá no final do processo, extrai muito mais nutrientes e matéria orgânica, aumentando a diversidade do solo”, detalhou.


Conforme Tangriani, o Brasil é líder na integração lavoura-pecuária e que este é um conceito que precisa ser trabalhado, quebrando paradigmas. “Só aqui e nos outros países latino-americanos, podemos fazer integração e fomos criados em conceitos de fertilidade de solo produzidos em países de clima temperado”, afirmou. Ela ainda ressaltou que o uso de NPK em outros locais é porque possuem só um cultivo e que no Brasil é diferente, podendo ocorrer dois ou dois e meio cultivos e tudo precisa ser adaptado.


A live foi um aquece para o próximo Farm Coaching, que ocorre nos dias 11 e 12 de agosto em Cascavel (PR). Informações e inscrições podem ser obtidas no site da SIA em www.siabrasil.com.br.