• AgroEffective

Produtor deve adotar governança na propriedade para driblar custos


Com a alta dos custos de produção ao produtor rural já anunciada por diversos levantamentos realizados por entidades e associações, em especial dos insumos agrícolas e combustíveis, os agricultores precisam organizar o planejamento de forma a minimizar os impactos da elevação de preços. Em algumas situações, mesmo com a alta das cotações, o cultivo se torna inviável. Neste caso a gestão entra como ferramenta chave para amenizar os problemas gerados por esta disparada.


De acordo com o sócio da Guapo Consultoria, o advogado Márcio Weiler, o ano de 2022 está sendo marcado por um aumento dos custos de produção da atividade agropecuária, tanto custos fixos quanto custos variáveis. “Dentro deste cenário é importante termos em mente que a governança corporativa é uma ferramenta fundamental para uma melhor gestão da empresa rural. Quem melhor se organiza dentro da propriedade e dentro da família, certamente passa uma imagem para o mercado de que está mais preparado para enfrentar as turbulências, que costumam vir no curso da própria atividade, inerentes ao risco da produção”.


O especialista lembra que quem busca ter uma governança familiar aplicada a sua atividade estará bem preparado para fazer aquilo que sabe, ou seja, produzir alimentos protegendo o seu patrimônio. É o caso do produtor rural Edimar Ceolin, de Santiago (RS). Entre as principais recomendações para estes momentos, o produtor dá a dica: nunca comprar todo o insumo no mesmo momento e parcelar em algumas vezes se for possível, além de buscar comprar coletivamente com outros produtores para negociar preço. O ideal é escalonar em duas ou três frações de compra e buscar travamento de preços. E claro, cotar preços com mais de um fornecedor.