top of page
  • Foto do escritorAgroEffective

Produtores de Chapada apresentarão a união do panettone com a noz pecã


Prestes a celebrar um ano do desenvolvimento da receita que uniu o melhor do chocolate ao sabor inigualável da noz pecã, o casal Anelise e Carlos Scheibe, de Carazinho (RS), vão levar o Pecanttone para a Expointer. Serão apenas 400 unidades para serem comercializadas na feira. O “edição Natal 2023”, feita em parceria com a Waissburg, de Santa Maria (RS), será produzida e comercializada a partir de novembro deste ano, principalmente em Carazinho e região, em alguns locais de Porto Alegre e pela internet. A saborosa novidade poderá ser conferida no estande do Instituto Brasileiro de Pecanicultura (IBPecan) a partir do dia 28 de agosto.


Conforme Anelise, o diferencial no sabor e textura do produto se deve à escolha da receita, que é feita por fermentação natural. A produtora explica que foi por sentir a falta de um produto similar no mercado e pelo seu gosto pessoal em “criar diferenciais” , que surgiu a ideia do panettone. “Adoro panettone e baseada na marca que mais apreciava, pensei, por que não pedir que eles façam um com a nossa noz pecã? Entrei em contato com a empresa e surgiu o Pecanttone original, já como marca registrada”, conta. Outros sabores também já estão sendo testados.


O pomar do casal Scheibe, com área de 33 hectares fica em Chapada (RS) onde foram plantadas cerca de cinco mil nogueiras em três etapas diversas. Apenas uma parcela está produzindo plenamente, enquanto as outras estão iniciando, devido a isto, a colheita de 2023 atingiu 18 toneladas de noz pecã, ainda distante da meta futura de 90 toneladas de fruta. Atualmente a maior parcela desta noz, conforme Anelise, é direcionada para produtos produzidos em parcerias e vendas para indústrias beneficiadoras, pois no momento não é objetivo dos produtores a venda à granel. “Um grande desafio é a secagem, classificação e principalmente armazenagem, pois a noz pecã é muito sensível à oscilação de temperatura e umidade. Estes itens são controlados com muito cuidado por nós, dispondo inclusive de uma câmara fria com temperatura estável. Com isto preservamos o sabor original da fruta, evitando principalmente o mofo e rancificação. Quem não conhece pecã e come uma noz rancificada, dificilmente comerá novamente!”, explica.


Além do Pecanttone, outra parceria de sucesso, dessa vez com uma empresa de Passo Fundo, é o alfajor, recheado e coberto com a farinha de pecã. A linha de produtos derivados do pomar dos Scheibe é variado inclui café, aromas (álcool gel, velas aromáticas, entre outros), até mesmo o material derivado das podas anuais do pomar já tem destino: às mãos de uma artista plástica local se transformam em base para lindas e especiais mensagens. Estas peças também são utilizadas como base de pequenas árvores natalinas, as mesmas poderão ser conferidas na Expointer, pois estarão decorando o estande. Além destes, outros produtos estão em linha de testagem. Dois projetos estão em andamento com a Embrapa Clima Temperado, em Pelotas, e outros dois, em Minas Gerais.

Comments


bottom of page