• AgroEffective

Redução de oferta na primavera deve valorizar ainda mais touros na temporada


Vai faltar touro na temporada de primavera da pecuária, tradicional período de vendas do setor, em especial no Rio Grande do Sul. A avaliação foi feita por participantes do Agropauta Web Talks, que debateu o mercado pecuário e suas perspectivas na noite de segunda-feira, 30 de agosto. Participaram do encontro virtual o leiloeiro e diretor da Trajano Silva Remates, Marcelo Silva, o presidente do Conselho de Administração do Instituto Desenvolve Pecuária, Ricardo Giuliani, e o associado da Conexão Delta G e titular da Wolf Agricultura e Pecuária, Frederico Wolf.


Conforme Silva, a sinalização é de uma redução de 40% na oferta de touros nos remates de primavera em relação à 2020, enquanto nas fêmeas esse percentual chega a 70%, o que se explica pela valorização e pela antecipação do entoure. “Acredito que não teremos touros sendo vendidos a menos de R$ 18 mil. Este é o número que esperamos baseado nas vendas de abril até agora. Nas fêmeas devemos levar em conta duas coisas: a idade, se é uma terneira que vai fechar um ano, então ela leva um tempo um pouco maior para desfrutar reprodutivamente, e também a qualidade genética, o que ela traz intrinsecamente no seu sangue”, destacou.


Neste cenário, Giuliani recomendou que o produtor que for às compras busque antecipar as mesmas. Além disso, é importante que os criadores busquem animais certificados pelas associações de raça. “Não deixem para comprar amanhã. Vai faltar touro nesta temporada. Faltou terneiro e vai faltar touro. Quando diminui a oferta de touros e a demanda continua a mesma e a tendência é aumentar porque a cria está valendo, o touro será mais valorizado que nos outros anos. E lembrando que touro é touro registrado. É o touro certificado e avalizado pelas associações”, observou.


Na questão de dados e informações, Wolf lembrou também da importância da análise de índices e dados genéticos dos animais na hora das escolhas dos reprodutores. “Medir para identificar os animais que são mais produtivos para comercializar e utilizar também. A Conexão Delta G é pioneira e sempre trabalhou muito bem com este foco e com este objetivo que eu entendo que agora, neste momento que nós estamos, com o mercado que temos hoje e com a maneira que está sendo comercializado, é extremamente importante aumentarmos a produtividade. E a genética é a produtividade na veia. A forma que conseguimos identificar animais que são superiores e confirmadamente são capazes de transmitir melhores índices e ganhos, este é o ideal”, salientou.


O Agropauta Web Talks é promovido pela AgroEffective e quinzenalmente traz nas segundas-feiras um encontro virtual sobre temas relacionados ao setor. O próximo debate ocorrerá no dia 13 de setembro, às 19h, no canal Agropauta Web TV no endereço www.youtube.com/agroeffective.