top of page
  • Foto do escritorAgroEffective

Salão da Indústria 4.0 abre espaço às tecnologias para o setor


Com a participação de cinco expositores, o Salão da Indústria 4.0 tem atraído a atenção dos visitantes da 34ª edição da Abertura Oficial da Colheita do Arroz e Grãos em Terras Baixas, realizado na Embrapa Terras Baixas, em Capão do Leão (RS). Presente pela primeira vez no evento, o local abre espaço às indústrias e às soluções tecnológicas destinadas a

este importante elo da cadeia produtiva arrozeira. Neste ano estão presentes as empresas Granosafe, Newtec, Satake, Garten e Indumak, trazendo novidades aos visitantes.


Entre as inovações apresentadas, está a plataforma Grano Metrics, um software desenvolvido e trazido à feira pela empresa Grano Safe. Trata-se do primeiro software produzido no Brasil para autocontrole, gestão de qualidade e gerenciamento de riscos para a indústria de arroz, em um único ambiente, com interface simples e funcional.


Na plataforma, o usuário tem acesso a relatórios de lotes e marcas, origem do produto, desempenho de equipamentos e movimentações de estoque, proporcionando um controle completo do fluxo industrial. Um dos sócios da empresa, Nathan Vanier, explica que através deste software se consegue interligar os elos, desde a produção até o varejo. “Na indústria, há o controle de todas as operações no beneficiamento, para que se enxergue melhor os dados coletados no processo, para que se tenha boas informações e decisões mais assertivas”, ressalta.


Segundo ele, a regulagem é feita antes, mais cedo, para que se tenha mais grãos inteiros, melhor desempenho no polimento e selecionadoras eletrônicas. “Isso mexe no bolso da indústria e proporciona maior competitividade”, diz. Além do software, a empresa oferece ainda outras soluções, como consultoria e treinamentos, eventos, workshops e ações educacionais online para difusão de informações sobre pós-colheita e industrialização de grãos.


Aos produtores que armazenam grãos são fornecidas informações para melhorar o rendimento de grãos inteiros, evitar que amarelem quando armazenados ou tenham defeitos de cor, metabólicos, fiquem manchados ou ardidos. Estes problemas além de reduzir a qualidade dos grãos, resultam em maiores descontos na hora de entregar às indústrias, pois reduzem a massa no produto armazenado. “Nós trouxemos para a feira, alguns cálculos de quanto perde de massa um grão respirando por 30 dias em diferentes umidades e temperaturas”, ressalta.

Outra novidade foi apresentada pela empresa Garten que trouxe para a feira o primeiro medidor de brancura de arroz (branquímetro) portátil do mundo. O equipamento foi todo desenvolvido em Pelotas (RS) e é uma grande inovação porque permite que o aparelho seja levado até onde o arroz está, ao invés de coletar amostras para o laboratório, o que gera ganho de tempo e melhora as condições de regular os equipamentos diretamente da fábrica. O sistema pode ser acessado ainda via web, o que facilita ainda mais o controle de qualidade na linha de produção.


A 34ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz e Grãos em Terras Baixas é uma realização da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz) e correalização da Embrapa e do Senar, com patrocínio Premium do Instituto Riograndense do Arroz (Irga) e do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa).


Foto: Leandro Vieira/Divulgação

Comments


bottom of page