• AgroEffective

Verba de R$ 30 milhões para escolas agrícolas finalmente será liberada


O ano de 2019 encerra com uma boa notícia para as escolas técnicas agrícolas do Rio Grande do Sul. Foi empenhada pelo Ministério da Educação a emenda da Bancada Gaúcha para atendimento às 27 Escolas Agrícolas com recursos de R$ 30 milhões, por intermédio da Superintendência de Educação Profissional (Suepro) e Secretaria de Educação do Estado. Com esses recursos serão adquiridos ítens como caminhões, tratores, implementos agrícolas para a manutenção dos trabalhos de pesquisa das instituições, entre outros.


O presidente do Conselho de Diretores das Escolas Estaduais, Luiz Carlos Cossman, destaca que as comunidades ao entorno das escolas agrícolas estão felizes pela liberação. "Ficamos muitos anos sem estas atualizações e reestruturações. Com este recurso conseguiremos melhorar a estrutura física das nossas escolas com os equipamentos, melhorando também e atualizando as tecnologias", observa.


O dirigente lembra que em muitas escolas técnicas agrícolas os equipamentos são até da década de 1970. "Isto possibilitará, na verdade, a melhor qualidade do desenvolvimento dos trabalhos pedagógicos, no desenvolvimento das aulas, principalmente nas práticas pedagógicas nas nossas unidades educativas de produção, e isto dará uma estrutura melhor para os nossos professores. E o resultado disso é um aluno melhor formado, um aluno com mais informações, com acesso a mais tecnologia", salienta Cossman


Para o presidente da Associação Gaúcha dos Professores Técnicos de Ensino Agrícola (Agptea), Fritz Roloff, o trabalho em conjunto com os diretores, a Agptea e a bancada federal gaúcha, liderada pelo deputado Giovani Cherini (PR/RS), foi fundamental para a conquista. "A Agptea bancou este processo, foram muitas reuniões com a Secretaria da Educação, mas aí está o resultado. Nosso reconhecimento a todos os envolvidos nesta luta", destaca.


A verba foi aprovada pela Bancada Gaúcha no Congresso Nacional no dia 30 de outubro de 2018. Desde então as escolas esperavam a resolução de detalhes burocráticos para que os recursos pudessem chegar até as escolas agrícolas do Estado.