• AgroEffective

Vitrines tecnológicas apresentam inovações para o produtor


Uma das principais atrações de todas as Aberturas Oficiais da Colheita do Arroz são as vitrines tecnológicas. Nelas, os produtores podem conferir as novidades e inovações para alcançar a produtividade desejável. Empresas e instituições apresentam no evento seus produtos para o público presente. E neste ano não é diferente nos dois primeiros dias do evento..


O Instituto Riograndense do Arroz (Irga) destaca este ano dentro do roteiro técnico da 31ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz a cultivar Irga 424 RI, a mais semeada no Rio Grande do Sul e que já atingiu na safra 2020/2021 51% da área plantada. A afirmação é do coordenador do Instituto na Zona Sul, André Matos. Ele também ressalta a genética do Irga que ultrapassa neste ano mais de 64% no Estado, assim como a antecipação de irrigação no projeto idealizado por vários pesquisadores que tem a liderança da pesquisadora de Cachoeira do Sul, Mara Grohs. “Ela vem desenvolvendo esse projeto em estações de pesquisa do Irga e também em áreas de produtores por todo o Estado conjuntamente com a equipe de extensão do Instituto. Estão sendo apresentados vários ganhos, principalmente, em produtividade com a antecipação da irrigação”, observou.


Segundo Matos, o Irga também trouxe para o roteiro técnico a soja e o milho, duas culturas alternativas e presentes na rotação do arroz. Salienta que a soja, principal alternativa hoje, está com uma área recorde semeada em rotação com o arroz, num total de 366 mil hectares. “O milho também começa a ganhar espaço muito em cima do que a soja deixou já de ganhos como a questão da melhoria de drenagem, a calagem, entre outros fatores”, ressaltou.


A Embrapa, por sua vez, está mostrando nas vitrines tecnológicas do evento suas três cultivares mais recentes: BRS Pampa CL de ciclo precoce, alta qualidade de grãos e produtividade; BRS A 705 que possui porte um pouco mais baixo e está indo bem no pré-germinado com alta qualidade de grãos e boa produtividade; e a terceira cultivar, a BRS Pampeira com ciclo mais longo, mas um material classificado como alta qualidade de grãos e excelente rendimento de panela que já está sendo exportada por grupos de empresas. De acordo com o pesquisador da Embrapa Clima Temperado de Pelotas (RS), André Andres, ainda na parte de arroz estão sendo apresentadas questões ligadas ao manejo, principalmente fertilidade do solo, uso de nitrogênio. Já na implantação de sorgo, soja e milho está sendo mostrado o sistema sulco/camalhão.


Conforme Andres, uma grande novidade da Feira neste ano é o melhoramento do campo nativo infestado no capim annoni. “Iniciamos no inverno um trabalho de implantação de culturas como azevém e trevo sem uso de químicos além do adubo. E agora no verão utilizamos o equipamento Campo Limpo desenvolvido pela Embrapa Pecuária Sul de Bagé RS) que faz um controle seletivo do capim annoni sem afetar o campo nativo mais abaixo, ou seja, ele morre porque é mais alto. São passadas cordas embebidas com o dessecante”, explicou.


O pesquisador da Embrapa falou ainda sobre o trabalho envolvendo melhoramento do campo nativo. “Estamos mostrando as diversas forrageiras desenvolvidas no Brasil com oito unidades da Embrapa envolvidas. Temos forrageiras de inverno e verão, trevos e gramíneas”, informou, colocando também que estão sendo demonstradas estratégias de manejo. “Temos o milho verde para venda em caixinha in natura que é muito saboroso, e o sorgo tanto para pastejo quanto para grãos”, finalizou.


As empresas e instituições que estarão participando das vitrines tecnológicas são: Irga, Embrapa, Epagri/SC, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, UFSM, Ufrgs, Basf, FMC, SuperN, Ihara, Netafim, Zimmatic, RiceTec, Syngenta, FTSementes, Bayer, Pioneer, Brevant Sementes, Compass Minerals, PGG Wrightson, Adama, Sindag e Morgan.


Com o tema “Os Novos Rumos do Sistema de Produção”, a 31ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz ocorre até esta quinta-feira, dia 11 de fevereiro, em formato híbrido, com opções on-line no site do evento e presencial na Estação Experimental Terras Baixas, da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão (RS). A realização é da Federarroz, correalização da Embrapa e patrocínio premium do Irga e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Informações em www.colheitadoarroz.com.br ou pelo aplicativo Colheita do Arroz.


Foto: Fagner Almeida/Divulgação