top of page
  • Foto do escritorAgroEffective

Brasil se destaca no Freio de Ouro FICCC 2023 com os primeiros lugares


Mesmo a centenas ou milhares de quilômetros de distância, o sentimento é como se estivéssemos em casa. Unindo três países determinados a proporcionar o mesmo espetáculo em pista, o Freio de Ouro da FICCC 2023 foi escrito em letras verdes e amarelas, marcando com as cores do Brasil a história vivida neste sábado, 1º de abril, em solo argentino, na capital Buenos Aires. Liderados pelos troféus de Ouro de Santa Alice Posteiro e Divindad 42 Nombrado, o time brasileiro se destacou em número e em desempenho no pódio final do evento, recebendo seis das oito premiações entregues após uma disputa marcada por emoção e competitividade entre os verdadeiros craques que buscavam essa consagração.


Nas últimas corridas da categoria Machos, o embate era meteórico. De um lado, Santa Alice Posteiro: Bocal de Ouro e Freio de Prata 2020. De outro, o tricampeão do Freio de Ouro e também Ouro FICCC, Colibri Matrero. Eles já disputaram decisão juntos lá em 2020, quando o fenômeno uruguaio levou a melhor e conquistou o título. Dessa vez foi diferente. Com alguns minutos que colocaram todo o público para vibrar alto com a performance dos dois cavalos, foi o Brasil que tremulou sua bandeira no alto do pódio, premiando o exemplar sangue de Ganadero da Harmonia (também Ouro em 2006) e Santa Alice Cambona. O Ouro da FICCC 2023 consagra a trajetória de Santa Alice Posteiro, conduzido mais uma vez pelo ginete Fernando Andrighetti. Para ele, uma experiência única. “É praticamente uma copa do mundo, pois todos são premiados e eu só tenho a agradecer por ter chegado até o pódio ao lado deste cavalo. Lograr essa vitória é diferente de tudo que eu já havia vivido e o Santa Alice vem ficando melhor a cada dia que passa”, conta.


Confiar na vinda de Posteiro até terras argentinas foi uma aposta certeira e com um significado especial para o criador e proprietário, Marcelo Bomfiglio Marçal. “É uma emoção muito grande pois o cavalo sempre uniu a nossa família e estamos aqui vibrando com esta vitória maravilhosa. Eu quero agradecer muito ao domador, ao preparador e também ao Andrighetti, que foi nossa estrela maior. Afinal, tendo um trabalho de base muito bem feito nos garantiu hoje voltar para casa com o Ouro”, comemorou o titular da Cabanha Santa Alice, de Rosário do Sul (RS).


Dentro da categoria Fêmeas, a dinâmica da constante troca de posições entre as etapas fez com que os vencedores fossem conhecidos em meio ao fator surpresa das paleteadas decisivas. Competindo junto de inúmeras potenciais vencedoras, quem largou em vantagem lá na avaliação morfológica foi quem voltou ao topo ao fim das notas da categoria: a Freio de Prata 2020, Divindad 42 Nombrado agora junta à sua campanha nas pistas o troféu de Freio de Ouro da FICCC, conquistado com a condução do ginete Fábio Teixeira da Silveira. A campeã, agora  internacional, é filha de Macanudo do Itapororó e Capella La Rienda, criação e propriedade de Gabriela Zancanaro Tonet, Cabanha da Figueira, de Panambi (RS).


Mesmo com toda a experiência de uma carreira vitoriosa, o ginete aponta os méritos de Divindad como os únicos determinantes para o resultado. “Eu só tenho a agradecer a essa égua, pois ela é incrível. Tudo que fiz aqui foi graças a ela, então este prêmio é dela, eu sou apenas uma peça. Também gostaria de agradecer a todos que trabalharam e também se dedicaram a ela, pois sem a equipe de trabalho não somos nada, além do proprietário que me confiou ela mais uma vez”, destacou Fabinho.


Não só os Ouros foram responsáveis por toda a comemoração vista no pavilhão verde da La Rural de Palermo. Um time de peso representou a delegação brasileira no resultado final. Na contagem, seis troféus para os brasileiros e dois para os uruguaios. Assim se formou o pódio mais aguardado do evento. Capanegra Acquavia (Bronze nas Fêmeas), TL Índia Guapa-TE (Alpaca nas Fêmeas), Zêzere do Canguçu (Bronze nos Machos) e Guarani 61 da Sorsul (Alpaca nos Machos) retornam ao país com histórias para contar.


Realizado entre os dias 29 de março e 1º de abril, o Freio de Ouro da Expo FICCC 2023 contou com a participação de 48 conjuntos (24 machos e 24 fêmeas), com representantes de Brasil, Argentina e Uruguai. No julgamento, um trio que também representou bem esses países na avaliação da seletiva: Carlos Loureiro de Souza (Brasil), Ignácio Lussich (Uruguai) e Rodrigo Dias de Vivar (Argentina). 

Confira o resultado


Categoria Fêmeas


FREIO DE OURO FICCC

DIVINDAD 42 NOMBRADO (Brasil)

EXPOSITORA: GABRIELA ZANCANARO TONET

ESTABELECIMENTO: CABANHA DA FIGUEIRA

GINETE: FÁBIO TEIXEIRA DA SILVEiRA

MÉDIA: 20,183


FREIO DE PRATA FICCC

PACIFICA LASQUEADA (Uruguai)

EXPOSITOR: LA PACÍFICA

GINETE: GABRIEL MARTY

MÉDIA: 19,897


FREIO DE BRONZE FICCC

CAPANEGRA ACQUAVIA (Brasil)

EXPOSITOR: FERNANDO DORNELLES PONS

ESTABELECIMENTO: CABANHA CAPANEGRA

GINETE: EDUARDO WEBER DE QUADROS

MÉDIA: 19,843


FREIO DE ALPACA FICCC

TL ÍNDIA GUAPA- TE (Brasil)

EXPOSITOR: BRUNO BERWIG TOMBINi

ESTABELECIMENTO: SEMENTES E CABANHA TOMBINI

GINETE: CHARLES FAGUNDES

MÉDIA: 19,687


Categoria Machos


FREIO DE OURO FICCC

SANTA ALICE POSTEIRO (Brasil)

EXPOSITOR: MARCELO BOMFIGLIO MARÇAL

ESTABELECIMENTO: EST NCIA SANTA ALICE

GINETE: FERNANDO ANDRIGHETTI

MÉDIA: 21,165


FREIO DE PRATA FICCC

COLIBRI MATRERO (Uruguai)

EXPOSITOR: LA PACÍFICA

ESTABELECIMENTO: CABANHA LÁ PACIFICA

GINETE: GABRIEL VIOLA MARTY

MÉDIA: 21,157


FREIO DE BRONZE FICCC

ZÊZERE DO CANGUÇU (Brasil)

EXPOSITOR: GANADERA VICTÓRIA SA

ESTABELECIMENTO: CABANHA CERRO CHENQUE

GINETE: FAGNER CRESCENCIO ESPINDOLA

MÉDIA: 20,909


FREIO DE ALPACA FICCC

GUARANI 61 DA SORSUL (Brasil)

EXPOSITOR: LUAN ARALGI BAGGIO

ESTABELECIMENTO: CABANHA DO ACESSO E AGROSUL SEMENTES FORRAGEIRAS

GINETE: EDUARDO WEBER DE QUADROS

MÉDIA: 20,573


Fotos: Fagner Almeida e Felipe Ulbrich/Divulgação

Comments


bottom of page