top of page
  • Foto do escritorAgroEffective

Frente parlamentar vai debater o ensino profissional no Rio Grande do Sul


A Frente Parlamentar em Apoio e Defesa das Escolas Técnicas e Ensino Profissionalizante do Rio Grande Grande Sul foi instalada nesta terça-feira, 14 de novembro, e contou com a presença da direção da Associação Gaúcha de Professores Técnicos de Ensino Agrícola (Agptea). O ato ocorreu na Sala Salzano Vieira da Cunha, da Assembleia Legislativa gaúcha. Professores e diretores de escolas agrícolas do Estado participaram da solenidade, assim como autoridades, parlamentares e representantes de entidades.


A iniciativa foi proposta pela deputada Adriana Lara que afirmou ser este um tema muito importante, quando o desemprego no Estado chega a um dos seus maiores índices. Lembrou os dados do PNAD - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, que indicam que apenas 12% dos jovens entre 18 e 24 anos estão matriculados em algum curso técnico. “Precisamos garantir que esses jovens tenham a sua qualificação profissional, tenham uma perspectiva de futuro”, salientou, afirmando que, para isso, “será preciso trabalhar para fortalecer as políticas públicas que compõem as escolas e os cursos técnicos”.


O presidente da Agptea, Fritz Roloff, destacou em sua fala que se soma à questão da audiência pública, anunciada pela deputada Adriana, para debater políticas voltadas à educação no Estado. Salientou, ainda, que a parlamentar abriu as portas para a concretização de propostas levantadas a partir de um estudo relacionado ao ensino profissional. Roloff também destacou o diálogo que a Associação tem com a Superintendência da Educação Profissional (Suepro/RS). “Estamos felizes que já não se fala mais em extinguir a Suepro”, comentou.


Roloff também citou o deputado federal Giovani Cherini, dizendo que o parlamentar abriu as portas para que a educação agrícola no Rio Grande do Sul resgatasse o seu orgulho, a partir da emenda parlamentar que destinou R$ 30 milhões para equipar as instituições de ensino. Cherini afirmou, por sua vez, que “as escolas técnicas precisam sair do sucateamento atual e serem modernizadas”. Informou que também já foi instalada esta mesma Frente Parlamentar em Minas Gerais e quando tiverem outras Frentes instaladas no país, irão ocorrer reuniões em Brasília para debater o tema da educação profissional.


O superintendente Adjunto da Suepro/RS, Tomás Collier, destacou que esse acompanhamento de perto da Assembleia Legislativa é uma forma de mostrar que a educação profissional está bem guardada. Disse que a porcentagem de matrículas da educação profissional dentro do Ensino Médio no Brasil fica em torno de 10% a 12% e que, portanto, há um potencial de crescimento muito grande no Brasil. “Temos como objetivo uma expansão da matrícula de educação profissional bastante agressiva. Hoje, ela está presente na rede estadual em 22% dos municípios gaúchos, e queremos atingir 50% até 2026”, ressaltou, afirmando que é preciso olhar com muito cuidado para cada jovem que está se formando, para que possa fazer parte do mundo do trabalho e da força contributiva do Estado.

Commenti


bottom of page