top of page
  • Foto do escritorAgroEffective

Agtech europeia do mercado de biológicos começa a se instalar no Brasil


Representantes da Elicit Plant, Agtech europeia com sede na França, estiveram em reuniões e visitas com empresas e entidades brasileiras durante a Expodireto Cotrijal, que ocorre em Não-Me-Toque (RS). A empresa, que recentemente recebeu suporte de € 16 milhões para acelerar a pesquisa e desenvolvimento, além da comercialização de sua solução natural dedicada à redução do consumo de água pelas plantas na agricultura, está se instalando no Brasil e deverá ter seus produtos disponíveis no mercado já para a safra 2022/2023.


A Agtech já tem sua sede brasileira localizada em São Paulo e tem como alvos iniciais mercados produtores como o Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso. Conforme o presidente da Elicit Plant, Jean-François Déchant, a empresa trabalha no combate ao estresse hídrico, com uma tecnologia à base de fitoesterol, um extrato natural que ajuda a planta a enfrentar esse problema. "Na Expodireto temos pessoas em alto nível com experiência nesta questão e viemos encontrá-las para nos desenvolver por aqui", destaca.


Déchant conheceu os problemas vividos na safra de verão do Rio Grande do Sul, que estão contabilizando perdas devido à estiagem. "Estamos trazendo uma solução para que o produtor possa enfrentar da melhor forma essa situação. Notamos que os problemas que ocorrem aqui são semelhantes ao que acontece em outros lugares do mundo. Estamos bem satisfeitos com a receptividade que tivemos na feira", observa.


O projeto de entrada da Elicit Plant no país está sendo desenvolvido pela SIA, Serviço de Inteligência em Agronegócios. Segundo o diretor-executivo da consultoria, Bruno Pereira Quadros, o trabalho realizado busca ajudar a empresa no seu desenvolvimento e na organização dos negócios. "O Brasil é bem diferente da Europa, por isso estamos auxiliando nesta entrada, criando o plano de negócios, criando os caminhos para que tenha êxito aqui no país. Uma empresa que traz uma inovação com um produto para trabalhar a questão da seca com certeza tem uma aceitação no Brasil, e temos notado isto", salienta.


Comments


bottom of page