top of page
  • Foto do escritorAgroEffective

Vaquero Working Cow Horse define primeiros campeões da modalidade


Quando o homem e o cavalo tornam-se um só, o que se espera em pista é, nada mais nada menos, que um grande espetáculo. Muito mais do que uma competição esportiva, a Vaquero Working Cow Horse é uma celebração das habilidades tradicionais que eram essenciais para o trabalho no campo e é um lembrete das profundas raízes da cultura cowboy na América. Em uma combinação única de destreza, conexão e o desafio emocionante de lidar com o gado, a nova modalidade que ingressa no ciclo do Cavalo Crioulo já se tornou amada por aqueles que apreciam a autêntica vida no campo. Sob o teto da Arena Coberta do Cavalo Crioulo, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), a etapa final da prova, promovida pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), consagrou seus campeões na tarde deste sábado, 28 de outubro, em uma disputa emocionante do começo ao fim e, que agora, promete um futuro brilhante para a raça.


Registrando entre seus méritos como a Primeira Campeã na Categoria Inéditos, onde concorrem animais com 59 meses e 29 dias até a data da admissão, da prova lançada na Semana do Cavalo – Maneca Costa, Aliança da Marca Barco conduzida por Eduardo Izanack Matas, concluíram as etapas de rédeas e trabalho com o gado com média final 60,313. A gateada tapada que estreou nas provas funcionais, tinha apenas demonstrado sua aptidão morfológica através de participação em Exposições e agora na Vaquero Working Cow Horse. Criada e exposta por Naira e Eduardo Matas, Cabanha Barco, de Itaqui, no Rio Grande do Sul, a jovem égua é filha de Tijanera Halcon e Chamarrita do Itapevy.


Uma dobradinha na conquista do título da Categoria Aberta (onde disputaram animais com idade igual ou superior a 60 meses), pelo ginete Daniel Bandeira Ortiz montando os animais de afixo Pavei, Guto da Pavei e Fulano da Pavei, respectivamente com médias 73,313 e 68,375. Reforçando a paternidade de Ganadero da Harmonia, pai de ambos cavalos que subiram ao pódio, em mães Hija Buena da Charqueada e Peleia da Boa Vista, os prêmios foram para o criador Filipe Silveira Pavei, Cabanha Pavei, de Içara, Santa Catarina. Destacando as características da prova, Daniel ressalta "Foi uma novidade para nós ginetes e para os cavalos, mas o Cavalo Crioulo tem muita versatilidade e é muito inteligente, com concentração conseguimos êxito nessa primeira edição", explicou o ginete.


Os resultados completos podem ser conferidos no site da ABCCC em www.abccc.com.br.


Foto: Maurício Vinhas/Divulgação

Comments


bottom of page